Com o avanço das técnicas endovasculares, angiográficas e da microcirurgia tem sido possível a realização de procedimentos em artérias de pequeno calibre ao nível do tornozelo e do pé. No entanto, tais técnicas exigem a presença de leito arterial distal que está ausente em muito pacientes o que os leva a uma amputação do membro por falta de recursos terapêuticos convencionais.  A revascularização retrógrada é uma técnica presente na literatura mundial recente que possibilita salvar membros, com insuficiência arterial sem leito distal. No Brasil a técnica é pouco conhecida e não tem sido praticada com frequência. Existem poucas publicações nacionais sobre o tema. Este site disponibiliza a bibliografia, técnicas cirúrgicas e principalmente pequenos detalhes indispensáveis para o sucesso do procedimento.

 

Paciente com tromboangeite obliterante submetido a arterialização venosa e amputação de dedo

A aterosclerose obliterante, especialmente aquela acompanhada de diabetes melitus; a tromboangeite obliterante na maioria absoluta dos seus casos; e o aneurisma  de artéria poplítea com trombose do leito distal são condições em que encontramos pacientes em isquemia crítica sem leito arterial distal. Nesta situação, a única maneira de irrigar o membro isquêmico é derivar o fluxo arterial através do sistema venoso, com a finalidade de atingir a micro-circulação de maneira retrógrada.

As primeiras tentativas de fístulas arteriovenosas terapêuticas datam do inicio do século passado. Realizadas na parte proximal dos membros inferiores não obtiveram resultados favoráveis. A partir da década de 70, com os trabalhos pioneiros de Lengua (1975), as fístulas passaram a ser estendidas até o pé, e os bons resultados apareceram em várias publicações.

 

Referências:

  • Pomposelli FB, Jepsen SJ, Gibbon GW, Campbell DR, Logerfo FW. Efficacy of the dorsal pedal bypass for limb salvage in diabetic patients: Short term observations; J Vasc Surg 1990; 111:745-52.
  • Campbell WB, Verfaille P, Ridler BM, Thomson JF. Non operative treatment of advanced limb ischaemia: the division for palliative care. Eur J Vasc Endovasc Surg 2000; 19: 246-49.
  • Lengua F. Technique d’artérialisation du réseau veineux du pied. Press Med 1975; 4:1039-42.

 

Ir para página: 01 – 0203040506070809101112 – 1314