Estudos recentes tem mostrado o aperfeiçoamento da técnica. Os bons resultados estão relacionados à indicação precisa, estudo pré-operatório arterial e venoso da extremidade em risco e detalhes de técnica operatória (valvulotomia do arco venoso do pé e da primeira metatarsiana) (Busato et al, 2008).

  • Lu et al (2006): Metanálise, salvamento de 71%, com cicatrização de lesões, pequenas amputações e melhora da dor em repouso.
  • Busato et al (2010): Salvamento de 10 em 18 membros (55,6%) de pacientes candidatos à amputação.
  • Mutirangura et al. (2011): 73,1% cicatrização de lesões sem dor em repouso e 76,02% de salvamento do membro.
  • Djoric (2011): Salvamento do membro de 91,7% para grupo cirúrgico contra 12,5% do grupo clinico.
  • Alexandrescu et al (2011) teve sucesso técnico em 21 de 25 membros arterializados (80%), sem mortalidade operatória em 30 dias. Patência cumulativa primária e secundária de 66%, 60% e 48% aos 12, 24 e 36 meses. Salvamento do membro de 73% em seguimento de 3 anos.
  • Schreve et al (2014) comparou a cirurgia de bypass com a arterialização venosa, e conclui que ambas tem resultados similares.
  • Kum et al (2015) fez um estudo piloto com a realização da arterialização venosa por via percutânea, obtendo sucesso clínico e angiográfico em 6 pacientes,

 

Valvulótomos para arco venoso e primeira metatarsiana. Fonte: Arterialization del pie por isquemia, F Lengua A.

Valvulótomos para arco venoso e primeira metatarsiana. Fonte: Arterialization del pie por isquemia, F Lengua A.

 

 

Ir para página: 0102030405060708 – 09 – 101112 – 1314